23 out – 27 nov 2021ExposiçãoArte
Hans Otte : Sound of Sounds

A Brotéria apresenta a primeira exposição em Portugal dedicada ao artista de Bremen Hans Otte (1926-2007) e ao seu mundo interior como parte do festival Hans Otte : Sound of Sounds.

Para além das suas duas instalações sonoras arquetípicas Ich-Atemobjekt (1970) e Namenklang (1995), estará em exposição uma seleção representativa de partituras e desenhos de Otte, complementados por fotografias biográficas, nomeadamente as da autoria da filha do compositor, a fotógrafa alemã Silvia Otte. A exposição contará ainda com a obra Air – Hommage an Hans Otte, John Cage, den Klang Der Klänge und einen Baum / Ar – Homenagem a Hans Otte, John Cage, ao Som dos Sons e a uma Árvore (2019/2020) de Ingo Ahmels, que parte de um texto que Hans Otte escreveu em homenagem a John Cage. A exposição viaja de Lisboa para Évora, Guimarães e Viseu.

A exposição inaugura na Brotéria no sábado dia 23 de outubro de 2021, das 16h às 19h.


Brochura do Festival Hans Otte : Sound of Sounds (PDF | PT)

 

Curadoria do projeto
Joana Gama – pianista, investigadora
Ingo Ahmels – artista sonoro, investigador em som
 
Produção executiva
Rui Manuel Vieira

Apoio
Goethe-Institut
John Cage Trust
Karin und Uwe Hollweg Stiftung, Bremen
Associação de São Bartolomeu dos Alemães em Lisboa
Câmara Municipal de Évora
Culturgest
CESEM - NOVA FCSH
Fundação GDA
Teatro Viriato
 
Parceiros
Brotéria
Universidade de Évora
Universidade do Minho
 
Apoio especial 
Cato Bontjes van Beek-Gymnasium, Achim
 
Co-produção 
Goethe-Institut
CAAA Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura
:dacapo: ggmbh, Bremen


Mais informações
https://www.goethe.de/ins/pt/pt/kul/sup/ott/sob.html

 

 

 

Privat_Hans_Otte_03

 

 

Sobre o festival

Hans Otte : Sound of Sounds é um festival dedicado à obra do artista e compositor alemão Hans Otte (1926 - 2007), que decorre de outubro de 2021 a abril de 2022 em quatro cidades portuguesas: Lisboa, Évora, Guimarães e Viseu. Com curadoria de Ingo Ahmels e da pianista Joana Gama, o festival consiste em exposições, concertos, conferências e a estreia mundial da peça de teatro musical J-CHOES, J’ai faim, dedicada aos compositores John Cage, Hans Otte e Erik Satie, que conta com a participação da pianista Margaret Leng Tan.

 

A influência de Hans Otte na divulgação e criação de música contemporânea na Europa Ocidental do pós-guerra como diretor do departamento de música da Radio Bremen foi significativa e o próprio Otte — com a ajuda do Goethe-Institut — apresentou um pouco por todo o mundo a sua obra-prima para piano Das Buch der Klänge / O Livro dos Sons com grande sucesso. As contribuições de Otte para o campo da arte intermedia e sonora são múltiplas: para além de peças musicais, a sua obra inclui ainda instalações sonoras, peças de teatro musical ou poemas.

A ideia da criação do Festival Hans Otte : Sound of Sounds surgiu após uma troca de emails entre dois estranhos que se tornaram amigos: o pianista, compositor, dramaturgo, curador, investigador, produtor musical, conferencista e professor alemão Ingo Ahmels, que trabalhou como assistente de Hans Otte entre 1995 e 2007, data da morte do compositor, e lhe dedicou a tese de doutoramento, e a pianista, performer e investigadora portuguesa Joana Gama, impulsionadora do festival. A curadoria é assim assinada por Ingo Ahmels e Joana Gama, numa coprodução com o Goethe-Institut Portugal, entidade que apoiou o projeto desde a sua génese.

O Festival Hans Otte : Sound of Sounds decorre de outubro de 2021 a abril de 2022 em quatro cidades do país com um ciclo de concertos, teatro musical, exposições e ainda conferências no âmbito académico, cruzando públicos e abordagens, dando seguimento a um primeiro momento que aconteceu em outubro de 2020, com a estreia, em Portugal, de O Livro dos Sons de Hans Otte, pela pianista Joana Gama. O festival instala-se em Lisboa em outubro e novembro, chegando a Évora em dezembro, a Guimarães em janeiro e a Viseu em abril e maio, regressando ainda a Lisboa.

Com arranque marcado para 23 de outubro, a abertura do Festival Hans Otte : Sound of Sounds coincide com a inauguração da exposição homónima na Brotéria, em Lisboa (até 27 de novembro), que apresenta as duas instalações sonoras arquetípicas Ich-Atemobjekt (1970) e Namenklang (1995) de Hans Otte, assim como uma seleção representativa de partituras e desenhos seus, complementados por fotografias biográficas, nomeadamente da autoria da filha do compositor, a fotógrafa Silvia Otte. A exposição, que conta ainda com a obra Air – Hommage an Hans Otte, John Cage, den Klang Der Klänge und einen Baum / Ar – Homenagem a Hans Otte, John Cage, ao Som dos Sons e a uma Árvore (2019/2020) de Ingo Ahmels, que parte de um texto que Hans Otte escreveu em homenagem a John Cage, segue depois o percurso realizado pelo festival, permanecendo por cerca de um mês em cada cidade (inaugurações em Évora a 4 de dezembro, Guimarães a 8 de janeiro e Viseu a 7 de abril).

À inauguração da exposição segue-se a conferência, no dia 4 de novembro, no Goethe-Institut em Lisboa, que antecipa o concerto Oriente:Ocidente - Cage:Otte na Culturgest, uma estreia em Portugal e um dos pontos altos do festival. Nesta conferência, realizada em colaboração com o Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM - NOVA FCSH), a lendária pianista Margaret Leng Tan junta-se a Joana Gama e Ingo Ahmels, curadores do Festival Hans Otte : Sound of Sounds, para uma reflexão sobre os percursos tão singulares quanto distintos de Hans Otte e John Cage, dois compositores unidos por uma boa amizade e uma admiração mútua. A conferência segue também viagem, com datas marcadas para Évora a 2 de dezembro e Guimarães a 7 de janeiro.

A 6 de novembro tem então lugar Oriente:Ocidente – Cage:Otte, um concerto para dois pianos numa “sala de concertos preparada”, idealizado por Ingo Ahmels (conceção e design sonoro) em homenagem a Hans Otte, e que teve a sua estreia em 2006, tendo sido editado pela WERGO em 2008. Nessa ocasião a interpretação contou com dois pianistas masculinos - Elmar Schrammel e Philipp Vandré - sendo agora intencional a escolha de duas mulheres pianistas para a interpretação das obras-primas para piano de John Cage e Hans Otte. Margaret Leng Tan, uma das intérpretes mais conceituadas da música experimental americana, considerada pelo New York Times como “a rainha do toy piano”, e que trabalhou de forma próxima com John Cage, interpreta uma seleção da obra seminal para piano preparado Sonates and Interludes do compositor americano, enquanto a reconhecida pianista portuguesa Joana Gama interpreta uma seleção dos ciclos O Livro dos Sons e O Livro das Horas de Hans Otte. No contexto do festival, está prevista uma única apresentação do concerto Oriente:Ocidente – Cage:Otte em Portugal.

Inicialmente planeado para 2020, a atual situação da pandemia tornou impossível a realização do festival, tendo-se mantido apenas a estreia, em outubro de 2020, do ciclo O Livro dos Sons de Hans Otte, num concerto na Culturgest com a pianista Joana Gama. Agora, no âmbito do festival, a 24 de outubro, a RTP2 fará a difusão de uma gravação inédita, realizada na renovada estufa do Jardim Botânico de Coimbra, com a pianista Joana Gama. O concerto será apresentado em Évora a 3 de dezembro, em Guimarães a 8 de janeiro e em Viseu a 4 de março. Juntamente com a  estreia deste concerto em 2020, a Culturgest promoveu ainda o lançamento de um microsite com informação sobre o compositor e fez uma encomenda de  peças musicais  a seis músicos portugueses - Bernardo Álvares, Helena Espvall, Joana Da Conceição, Norberto Lobo, Pedro Melo Alves e Violeta Azevedo - um tributo em forma de peças-concerto destinadas ao formato online, intitulado Abrindo o Livro dos Sons.

A programação do festival fica completa com a apresentação em estreia mundial - a 8 de abril no Teatro Viriato, em Viseu, e a 11 de abril no Goethe-Institut, em Lisboa — da peça de teatro musical J-CHOES, J'ai faim, com música de piano de John Cage, Hans Otte, Erik Satie e Arnold Schoenberg, interpretada ao vivo, que vem transmitir a cumplicidade artística entre os intervenientes, as personagens e certas peças de piano dos compositores referidos. A peça destina-se a três atores pianistas e conta com a interpretação de Margaret Leng Tan no papel de John Cage, Joana Gama no papel Hans Otte, Ingo Ahmels no papel de Erik Satie, e ainda com a direção artística de Lou Simard.

 

Programação completa
https://www.goethe.de/ins/pt/pt/kul/sup/ott/sob.html

Entrada Livre
Local: Brotéria
Eventos Relacionados